Sou palavras


Não sei se é poesia
As palavras que desenho.
Elas é que sabem o que são.
Palavras vivas,
Unindo-se para fugir de mim.
Ninfas voluntariosas,
Pegam o que desejam
E voam para longe
Levando pedaços de alma consigo.
Vocábulos passionais,
Turbulentos vendavais.
Seja pranto ou lamento,
Tortuosas emoções,
Escondidas e ao alcance.
Da dor que despedaça
Desprendem verbetes,
Alados, ousados,
Em fuga.
Depois da tempestade
A calmaria
Na cadência de uma rima
Minh’alma de novo ria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s