O prejuízo é sempre nosso V


Aproveitei a oportunidade de estar próxima ao Fórum de Campo Grande para verificar a quantas andava meu processo contra o Bradesco. Eu já contei sobre ele anteriormente, nos posts “O prejuízo é sempre nosso“, “O prejuízo é sempre nosso II“, “O prejuízo é sempre nosso III” e “O prejuízo é sempre nosso IV“. Meu advogado me explicou que basta eu comparecer ao cartório com o número do processo e o documento de identidade, me apresentar como uma das partes interessadas, e posso ver o processo. Foi o que fiz. O juiz decidiu a meu favor, fixando valores para ressarcimento e danos morais. Isso ainda em 2010. Agora a coisa se arrasta no cartório. Ou seja, ganhei mas não levei. Entre muitas idas e vindas, e demoras fenomenais, o juiz determinou, no fim de 2011, que fosse expedido um mandado de penhora a ser executado diretamente na tesouraria do banco. Fiquei esperançosa de chegar ao fim dessa jornada. Não sei quanto a vocês leitores, mas eu sou uma pessoa muito dinâmica, sempre envolvida em cumprimento de metas e prazos. Talvez por isso eu não goste de colecionar assuntos pendentes. Continue lendo

Anúncios

SOS Bombeiros – Anistia já!


Bombeiros continuam em frente à ALERJ lutando por condições de trabalho dignas. Na tarde de hoje eles se organizaram para pedir assinaturas de apoio em favor da Anistia para os bombeiros presos no dia 03 deste mês.

Foto Mônica d’Oliveira

E o chamado era atendido prontamente pela população. Minha maior dificuldade foi conseguir chegar até uma mesa e encontrar uma folha disponível. No pouco tempo em que passei ali, percebi que já haviam centenas de assinaturas. E a movimentação de fim de expediente nem havia começado.  As fitas vermelhas eram disputadas e ostentadas com orgulho nas roupas, bolsas, carros, motos, onde a criatividade mandasse.

Foto Mônica d’Oliveira

Certamente serão necessárias muitas assinaturas para sensibilizar o legislativo a tomar posição que contrarie os desmandos governamentais. Bem, eu já assinei. Se você também achar que é uma boa causa, eles estarão   na ALERJ esperando pela sua assinatura.

Share

Acidente? Como assim?


Estamos vivendo tempos muito estranhos mesmo… de todas as notícias estranhas, confusas, mal explicadas e até um tanto insanas que vi, li e ouvi hoje, a que mais me impressionou  foi a do atropelamento coletivo de ciclistas em Porto Alegre, RS.  Especialmente pela desfaçatez  das explicações do atropelador, que após avançar contra a multidão e fugir, alegou que o que aconteceu foi um acidente e que agiu em legítima defesa. Como assim? Juro que ainda estou tentando entender.

Procurei me informar melhor, afinal não gosto de julgamentos precipitados. Na noite de sexta-feira (25),  cerca de 100 ciclistas participavam de um evento promovido pelo Movimento Massa Crítica, em defesa do uso de bicicletas no tráfego urbano.  O trânsito não foi paralisado, já que os ciclistas estavam em movimento, mas a velocidade nas vias onde o grupo passava tinha que ser reduzida. Contrariado, após tentar forçar a passagem mais de uma vez,  o motorista de um Gol Preto avançou contra os ciclistas, ferindo vários deles e fugindo em disparada.  Segundo os organizadores, esses eventos acontecem mensalmente e com a participação de crianças, e, por sorte, neste dia haviam poucos participantes, senão teria sido uma grande tragédia. Essa imagem foi feita por participantes do evento, e existem outras de outros ângulos online:

Continue lendo

No dos outros …


Eu estava assistindo vídeos no You Tube e encontrei esse. Confesso que a música escolhida e algumas imagens me trouxeram lágrimas aos olhos. Quem quiser defender que acreditava naquelas idéias, tudo bem, eu respeito. Afinal, democracia é o respeito a diversidade de opiniões e aceitação do desejo manifesto da maioria (mesmo quando contrario aos nossos). Mas defender que o que vivemos foi uma “ditabranda”, como fez a Folha é ofender nossa própria história.

Share

O prejuízo é sempre nosso… – parte IV


Quem acompanha minhas aventuras deve lembrar do episódio da ação judicial contra o Bradesco por conta de uma nota falsa em um caixa eletrônico. Se não lembra ou está chegando agora, são os posts com esse mesmo título e marcadores. Na época recebi diversas mensagens de solidariedade e incentivo e sinto que devo atualizá-los para não parecer uma história perdida, solta no ar. Eis então as novidades. Meu advogado entrou em contato para dizer que o juiz havia decidido a meu favor. Fiquei feliz com  o resultado e assim que pude fui ler a sentença na íntegra. Um misto de curiosidade pura e simples, e desejo de saber que havia sido ouvida. É um texto muito longo, cheio das argumentações legais pertinentes,e não cabe reproduzir aqui, mas quero comentar os pontos que considero mais importantes.

Quanto ao recebimento de uma nota falsa em caixa eletrônico ficou reconhecida a necessidade do banco se responsabilizar pelos serviços que presta: “Indiscutivelmente a lide tem amparo nos princípios que norteiam o Código de Proteção e Defesa do Consumidor. Desta forma, o réu responde objetivamente pelos danos gerados no exercício regular da atividade por ele desenvolvida (artigo 14, do CDC), bastando ficar comprovado o nexo de causalidade e a lesão sofrida, independentemente da existência de culpa, para nascer o dever reparar os danos causados.” Continue lendo

Mais uma vitima inocente. Até quando?


Ontem acompanhei a notícia do menino morto com um tiro em plena sala de aula em Costa Barros. Eu trabalhei ali perto, como orientadora de aprendizagem do Programa de Aumento de Escolaridade da Prefeitura. Como educadora foi uma experiência enriquecedora, que merece um relato a parte. Como pessoa foram alguns momentos de grande agonia ver pessoas, que como eu só queriam viver em paz, reféns constantes de um embate que não era delas. Querer ajudar e pouco poder fazer frente a tantas necessidades.

Geograficamente, baseada nas imagens do telejornal, me pareceu pouco provável a explicação de que o tiro poderia ter partido do alto do morro, atravessado a linha férrea e atingido uma sala de aula dentro do CIEP. Mas não sou especialista e só tenho as notícias para basear minha opinião. E notícia, acreditem, não é um dado totalmente confiável. Notícia é informação tratada e editada para garimpar audiência. Continue lendo

Mavi Marmara, vítimas da covardia.


Algumas cenas filmadas entre os passageiros da flotilha Mavi Marmara, atacada por quinze comandos da Marinha israelense enquanto seguia em missão humanitária para a Faixa de Gaza. Nove ativistas civis turcos morreram na ação.

Share