Aborto: hipocrisias e manipulações


Sou contra o aborto. Uma postura ideológica minha, permeada pelos dogmas da minha fé. Sou uma feliz mãe de três filhos. Nunca fiz um aborto, nem incentivei ninguém a fazer. Muito pelo contrário.  Passei muitos momentos difíceis em minha maternidade, especialmente quando queria poder prover meus filhos de mais opções e não podia. Tenho orgulho de ter enfrentado esses desafios.  Se o aborto não fosse crime, ainda assim eu não o faria, a qualquer tempo. Tenho convicção das minhas escolhas e da minha fé. Se minha filha, ou uma namorada de meus filhos, ou mesmo uma conhecida me falarem em aborto, tentarei dissuadi-las. Argumentarei, apresentarei opções, oferecerei apoio. Essa sou eu, na esfera privada de minha existência. Digo essas coisas, tão particulares, para que entendam porque me sinto à vontade para afirmar que considero a polêmica do aborto levantada nessa campanha eleitoral uma das maiores hipocrisias político-religiosas-eleitoreiras dos últimos tempos. Continue lendo

Anúncios

“Doe Palavras”


Eu participo de muitas redes e fóruns, tentando sempre ler as mensagens com a devida atenção. Ontem li em um desses espaços a divulgação dessa incrível campanha do Instituto Mário Penna, que fica em Minas Gerais e trata de pacientes com câncer. O nome simples e simpático da campanha traduz perfeitamente o convite que fazem: doe algumas poucas palavras de otimismo para os pacientes internados. As mensagens são exibidas em Tvs colocadas nas salas de quimioterapia, radioterapia e nas salas de espera de várias unidades do Instituto.

Como sou curiosa de natureza e profissão fui ver do que se tratava. A proposta é linda e segundo o superintendente geral do Instituto diz no site, elas  “ajudam os pacientes e familiares a enfrentar o tratamento com mais coragem”.  Eu aceitei o convite e convido agora vocês a tentarem também arrumar um tempinho para doar suas próprias palavras a estas pessoas que precisam tanto de apoio e encorajamento.

Não dá trabalho, não custa nada e é bem simples. Tudo é feito pela internet e a mensagem deve ter até 122 caracteres, como no Twitter. Elas podem ser postadas diretamente na página da campanha Doe Palavras (http://www.doepalavras.com.br/) ou pelo seu Twitter, acrescentando a hashtag #doepalavras.  Qem quiser saber mais sobre o Instituto Mario Penna ou sobre os propósitos da campanha Doe Palavras basta seguir o link que coloquei em cada um destes termos.

Talvez você fique acanhado, como eu também fiquei a princípio. O que dizer?  Como escolher as melhores palavras para dar a pessoas em situação de fragilidade emocional. Mas você vai ver que as melhores palavras são as mais simples, que vem do coração. Até porque o espaço é pequeno. E depois que você doar suas primeiras palavras vai perceber que um sentimento muito bom vai se espalhando dentro da gente. Um pequeno gesto que vai ajudar a outra pessoa, desconhecida, sem rosto, e ao mesmo tempo nos faz lembrar que podemos ser solidários de muitas maneiras. Ao estender a mão tocamos o outro e nesse toque percebemos que não estamos sós.

Experimente, ao menos uma vez, e depois diga o que sentiu. Estarei esperando vocês!

UPA, que sufoco


Nada como um imprevisto para nos dar um choque de realidade.  Precisar de atendimento médico na cidade do Rio de Janeiro é um problema gravíssimo. Meu marido machucou a mão e achou que não era nada demais. Típico dele. Achava que era só mal jeito e que logo a dor passaria. Quando eu vi que estava inchando muito fiquei preocupada. Não tinha como ele ir para o trabalho daquele jeito, nem como deixar para ir ao médico “se piorasse”. Já estava bem ruim. Mas ele é uma pessoa muito prática, gosta de respostas rápidas e objetivas. Em nosso bairro tem um hospital estadual e duas UPAs. Ele de imediato descartou o hospital, por motivos que merecem uma postagem a parte, e decidiu ir na UPA. Se ele estivesse certo poderia ir trabalhar, caso contrário ele receberia um atestado de atendimento público, melhor aceito em empresas que não oferecem planos de saúde. Continue lendo