Chega de hipocrisia #PRONTOFALEI


Se for para barrar o iraniano Mahmoud Ahmadinejad, então vamos boicotar também o israelense Benjamin Netanyahu, Obama, a determinada samaritana Hillary Clinton e tantos outros que hipocritamente apontam o dedo acusador da moralidade enquanto ignoram com muita determinação as violações contra os direitos humanos cometidos por suas próprias Nações, dentro e fora de seus territórios pátrios.

O discurso das minorias unidas em defesa de direitos essenciais é lindo. E necesário. Mas o que fazemos quando somos maioria ou mais fortes? Qual nossa postura quando o poder de fogo é nosso? Como defendemos o outro de nossas sombrias ambições? A Federação Israelita se posiciona firmemente em favor dos Direitos Humanos quando o algoz é outro? Ou estava usando o momento de luta pela tolerância religiosa para propagandear mais intolerância político-cultural?

Eu aprendi uma coisa com uma pessoa humilde mas de grande sabedoria: não fique reparando tanto no quintal do vizinho, faça o melhor que puder pos sua própria casa. Vale para tudo! #PRONTOFALEI


O prejuízo é sempre nosso V


Aproveitei a oportunidade de estar próxima ao Fórum de Campo Grande para verificar a quantas andava meu processo contra o Bradesco. Eu já contei sobre ele anteriormente, nos posts “O prejuízo é sempre nosso“, “O prejuízo é sempre nosso II“, “O prejuízo é sempre nosso III” e “O prejuízo é sempre nosso IV“. Meu advogado me explicou que basta eu comparecer ao cartório com o número do processo e o documento de identidade, me apresentar como uma das partes interessadas, e posso ver o processo. Foi o que fiz. O juiz decidiu a meu favor, fixando valores para ressarcimento e danos morais. Isso ainda em 2010. Agora a coisa se arrasta no cartório. Ou seja, ganhei mas não levei. Entre muitas idas e vindas, e demoras fenomenais, o juiz determinou, no fim de 2011, que fosse expedido um mandado de penhora a ser executado diretamente na tesouraria do banco. Fiquei esperançosa de chegar ao fim dessa jornada. Não sei quanto a vocês leitores, mas eu sou uma pessoa muito dinâmica, sempre envolvida em cumprimento de metas e prazos. Talvez por isso eu não goste de colecionar assuntos pendentes. Continue lendo

Se forem comprovados excessos …


Essa é a frase mais conhecida de todos nós moradores dessa Maravilhosa “Vila do Chaves”. “Se forem comprovados excessos, serão tomadas as medidas necessárias”. Mais uma vez a guarda municipal demonstra seu total e completo despreparo, sua atuação inconstitucional, e sua truculência. A Constituição prevê a possibilidade de se manter uma Guarda Municipal mas define claramente seu papel e a forma de sua atuação. A do Rio prima pelos equívocos e desvios de função e comportamento. Mas nossos amados governantes Kikobral e Eduardo Chaves insistem em fazer somente o que lhes dá na telha. Ou na pouca telha. Impressionante.

Hoje no RJTV 1ª edição assistimos mais um desmando da Guarda de Chaves. Um idoso atingido por uma arma de choque por defender seus biscoito e um homem atacado a cacetete por estar passando por ali. O rapaz que pediu para sair e agora é “comentarista” de telejornal, a todo momento tenta justificar a agressão SUGERINDO que os Guardas poderiam estar reagindo a um ataque. E criticando a população por se posicionar contrária aos desmandos da Guarda. Ora meu senhor, o combate aos vendedores ambulantes seguem normas de atuação também. É preciso inclusive que se registre um documento relatando o que está sendo apreendido. E a população será que é doida? Deixa seus compromissos, larga o que está fazendo só para agredir na mão os pobres trogloditas armados?


Continue lendo

Acidente? Como assim?


Estamos vivendo tempos muito estranhos mesmo… de todas as notícias estranhas, confusas, mal explicadas e até um tanto insanas que vi, li e ouvi hoje, a que mais me impressionou  foi a do atropelamento coletivo de ciclistas em Porto Alegre, RS.  Especialmente pela desfaçatez  das explicações do atropelador, que após avançar contra a multidão e fugir, alegou que o que aconteceu foi um acidente e que agiu em legítima defesa. Como assim? Juro que ainda estou tentando entender.

Procurei me informar melhor, afinal não gosto de julgamentos precipitados. Na noite de sexta-feira (25),  cerca de 100 ciclistas participavam de um evento promovido pelo Movimento Massa Crítica, em defesa do uso de bicicletas no tráfego urbano.  O trânsito não foi paralisado, já que os ciclistas estavam em movimento, mas a velocidade nas vias onde o grupo passava tinha que ser reduzida. Contrariado, após tentar forçar a passagem mais de uma vez,  o motorista de um Gol Preto avançou contra os ciclistas, ferindo vários deles e fugindo em disparada.  Segundo os organizadores, esses eventos acontecem mensalmente e com a participação de crianças, e, por sorte, neste dia haviam poucos participantes, senão teria sido uma grande tragédia. Essa imagem foi feita por participantes do evento, e existem outras de outros ângulos online:

Continue lendo

Rhodia demitirá funcionários contaminados em unidade de Cubatão


Por Jorge Américo, da Radioagência NP

publicada sexta-feira, 04/02/2011 às 09:40

A multinacional Rhodia convocou 20 funcionários da unidade de Cubatão, no litoral paulista, para fazer exames médicos e assinar a carta de demissão. A fábrica foi fechada em 1993, quando se constatou que, em mais de 15 anos de atividades, a empresa havia despejado 12 mil toneladas de resíduos químicos no solo. Essa falta de controle comprometeu o ecossistema e a saúde de aproximadamente 150 trabalhadores.

Isaías dos Santos Correa, presidente da Associação de Combate aos Poluentes – formada por trabalhadores contaminados pela Rhodia –, assegura que as demissões são ilegais, pois os trabalhadores têm licença remunerada por estarem impedidos de ter contato com agentes químicos.

“É uma contaminação que não sai do organismo. Tem um termo de ajustamento de conduta, firmado junto ao Ministério Público, que garante estabilidade a esses trabalhadores devido a essa contaminação e às doenças correlacionadas. E esses trabalhadores foram surpreendidos nesta semana com uma convocação para a demissão.”

O metalúrgico Arlindo Afonso de Paula foi contratado pela Rhodia em 1972. Dez anos depois, começaram a aparecer os primeiros problemas de saúde. Não podendo exercer suas funções, foi transferido para a área administrativa, o que não foi suficiente para impedir o surgimento de novas enfermidades.

“Eu estou parcialmente morando em Minas Gerais porque aqui não tem condições de tratamento. Foi indicado até por médicos que eu fosse para lá, para aliviar a cabeça. Eu tenho um quadro clínico de problema de fígado desde 1985 e ultimamente estou com cirrose hepática, calcificação do baço e câncer na próstata. E aí, há poucos dias, a firma me chamou para me demitir.”

Share

Dia Internacional de Solidariedade com a Luta do Povo Palestino


Share

A rebinboca do ADSL


Estive afastada de minha Nau desde o início de novembro.  Sentia saudades e uma frustração incômoda.  Uma distância imaterial e intransponível entre minha palavras e seu libertário veículo. Dessa vez o motivo foi algo que a maioria de nós conhece bem: fui “desconectada”.  Sem qualquer razão aparente a conexão banda larga disse adeus.  Liguei para reclamar com a Oi.  Da primeira vez me pediram para aguardar até o fim da tarde do dia seguinte. Estavam fazendo um reparo numa estação sei-lá-onde e era preciso trocar uma placa XNHGD@#%¨, essencial para normalizar o serviço no meu bairro. Eu tive a impressão que essa explicação era a clássica “rebinboca da  parafuseta”, em uma versão digital. Se você já teve a impressão de que os atendentes da Oi se divertem dando explicações estapafúrdias, levante a mão! Teve que levantar né? Continue lendo