O amor é lindo!!!


Uma velhinha de 80 anos foi presa por estar roubando no supermercado. Quando foi levada à presença do Juiz, ele perguntou a ela: – O que a senhora roubou ?
E ela respondeu: – “Uma lata pequena de pessegos.”

O Juiz perguntou o motivo dela ter roubado a lata pequena de pessegos e ela respondeu que estava com fome.

O Juiz então perguntou a velha senhora quantos pessegos tinha dentro da lata. Ela disse que tinha 6.

O Juiz proferiu a sentença: – “Eu vou prender a senhora por 6 dias.”
Mas, antes que o Juiz pudesse terminar,o velhinho, marido da velhinha, perguntou se poderia falar sobre o acontecido.

O Juiz disse que sim e perguntou o que ele queria dizer.
Aí, o marido da velhinha disse:
“Ela também roubou uma lata de ervilhas….”

Share

Eterno Natal


Difícil não notar a beleza daquelas crianças, surgidas do nada, com roupas humildes e com semblante tão iluminado. Pareciam saber exatamente onde iam, enquanto subiam o morro tão determinadas. Quem seriam elas? Em dado momento, se deram as mãos, sorriram e cada qual tomou seu caminho. Continue lendo

Meu querido Scooby


Eu apóio a adoção de animais. Participo de páginas de grupos que se organizam para buscar novos lares para nossos companheiros abandonados. Eu acredito nessa iniciativa, muito mesmo. Sou contra o aprisionamento de animais silvestres e o abandono dos animais domésticos. E tento colaborar como posso, conforme vão surgindo as oportunidades.

Adoro cumprimentos!

Aqui em casa a coisa aconteceu  de um jeito um pouco diferente, até inusitado. Nós é que fomos adotados pelo nosso querido, e já velhinho, Scooby. É uma história um tanto inusitada, mas se tiver a paciência de ler, garanto sua total veracidade.

Havíamos nos mudado de um apartamento para uma casa e ainda estávamos nos ambientando. Eu estava de férias e aproveitava os fins de tarde para cuidar das plantas e relaxar um pouco. Uma dessas tardes eu vi alguns cães soltos subindo a rua, mas não me preocupei. Alguns vizinhos às vezes deixavam os cães soltos enquanto estavam nas calçadas. O maior deles veio até meu portão e tentou insistentemente abrir. Pelo tamanho dele fiquei um pouco receosa de me aproximar já que nunca o tinha visto. Ele me viu no quintal e insistiu em raspar o portão. Depois desistiu e foi embora com o resto do grupo. Quando meu marido chegou comentei com ele a estranha insistência. Chegamos a conclusão de que ele talvez conhecesse a casa ou os antigos moradores. Naquela semana ele voltou a aparecer mais umas três vezes e eu comecei a ficar intrigada com aquilo. Continue lendo

Sempre perto e tão longe …


Somos o Sol e a Lua

Eternos amantes

Consumidos em sua paixão

Condenados a um breve olhar

Entre a aurora e o anoitecer

Lampejo de prazer

Sacrifício de amor

Que sustenta no firmamento

Na imensidão etílica

O frágil equilíbrio

Das sombras trêmulas ao seu redor

Constansa e seus amores


O que Constansa amava em Robson

Era sua doçura

O que Constansa amava em José

Era sua determinação

O que Constansa amava em Júnior

Era sua fragilidade

O que Constansa amava em Lúcio

Era sua alegria

O que Constansa amava em Marcel

Era seu charme, sua sedução

O que Constansa amava em André

Era sua delicadeza, sua atenção

O que Constansa amava em Sérgio

Era sua independência econômica

O que Constansa amava em Feliciano

Nem mesmo Constansa sabia

Era o conjunto de tudo que amou em todos

Em Feliciano, Constansa amou qualidades e defeitos

E dentro dela nasceu uma necessidade

Necessidade de protegê-lo, de cuidar dele

Constansa se pegou amando

E o amor total e puro

nasceu, cresceu e floresceu no coração de Constansa

E ela se apegou a esse amor

Mas Feliciano nem notou

E dos olhos de Constansa uma lágrima rolou

Constansa que amava aos pedaços

Quando amou um todo

Aos pedaços ficou!

Como eu


Vaguei na imensidão dos tempos distantes,

Observando os homens e seus mundos pequenos.

Sozinha,

Sina gravada no nome,

deixei-me levar por ventos e tempestades.

E quando finalmente mergulhei no olho do furacão,

Encontrei a paz que tanto busquei,

Você estava lá

Feliz dia dos namorados


Vou sair para passear um pouco com o “namorido”.  Uma sugestão: não deixe de namorar nunca. Não apenas hoje, mas em todas as oportunidades. Aproveitem os bons momentos, andem de mãos dadas, ouçam uma linda canção, abrace. Assim se mantém e renovam laços. Quem está sozinho, não fique triste. Não se apresse, mas dê uma chance a si mesmo para conhecer os outros além das aparências e convenções. Deixo uma música que adoro, uma poesia romântica, deste que é um ídolo do coração.