O vazio da saudade, algum dia passa?


Ontem não consegui escrever. Recolhi-me em silêncio saudoso e melancólico. Ontem completou um ano que minha avó partiu, e de repente o sentimento de perda e ausência se fizeram tão presentes que minhas palavras secaram. Tornaram-se lágrimas. Tentei somente pensar nas boas lembranças e nem isso foi conforto. Minha avó não era uma guerreira, ainda que tenha sido uma heroína cuidando de filhos e netos. Nascida em João Pessoa veio para o Rio ainda jovem onde conheceu um cearense inteligente e boêmio com quem teve três filhos, a mais velha minha mãe. Ela não deixou grandes feitos para a história, mas com certeza deixou-nos um legado cultural e afetivo. Continue lendo

Anúncios