Chega de hipocrisia #PRONTOFALEI


Se for para barrar o iraniano Mahmoud Ahmadinejad, então vamos boicotar também o israelense Benjamin Netanyahu, Obama, a determinada samaritana Hillary Clinton e tantos outros que hipocritamente apontam o dedo acusador da moralidade enquanto ignoram com muita determinação as violações contra os direitos humanos cometidos por suas próprias Nações, dentro e fora de seus territórios pátrios.

O discurso das minorias unidas em defesa de direitos essenciais é lindo. E necesário. Mas o que fazemos quando somos maioria ou mais fortes? Qual nossa postura quando o poder de fogo é nosso? Como defendemos o outro de nossas sombrias ambições? A Federação Israelita se posiciona firmemente em favor dos Direitos Humanos quando o algoz é outro? Ou estava usando o momento de luta pela tolerância religiosa para propagandear mais intolerância político-cultural?

Eu aprendi uma coisa com uma pessoa humilde mas de grande sabedoria: não fique reparando tanto no quintal do vizinho, faça o melhor que puder pos sua própria casa. Vale para tudo! #PRONTOFALEI


Anúncios

Canal Futura seleciona projetos de documentário


O Canal Futura   recebe até a próxima sexta-feira, dia 15 de julho,  inscrições para o 2º DOC Futura que selecionará um projeto de documentário de 52 minutos para coprodução e exibição.

Não há delimitação temática e narrativa, mas o canal busca projetos que tratem de assuntos relacionados aos direitos humanos. O projeto vencedor receberá o valor máximo de R$ 110 mil, verba que deve incluir todas as etapas de formatação, conteúdo, pesquisa, direitos autorais, produção, realização e finalização. O público-alvo é livre.

O 1º DOC Futura, que tinha a temática da pobreza, selecionou o projeto “Leva”, da produtora paulista Preta Portê Filmes. A produção, que foi ao ar em maio, abordou a questão do déficit de moradia no Brasil ao mostrar o dia a dia de um prédio habitado por integrantes de movimentos de ocupação urbana da cidade de São Paulo.

O edital, com o regulamento e a ficha de cadastro está disponível no site do Canal Futura (www.futura.org.br).

Share

Rhodia demitirá funcionários contaminados em unidade de Cubatão


Por Jorge Américo, da Radioagência NP

publicada sexta-feira, 04/02/2011 às 09:40

A multinacional Rhodia convocou 20 funcionários da unidade de Cubatão, no litoral paulista, para fazer exames médicos e assinar a carta de demissão. A fábrica foi fechada em 1993, quando se constatou que, em mais de 15 anos de atividades, a empresa havia despejado 12 mil toneladas de resíduos químicos no solo. Essa falta de controle comprometeu o ecossistema e a saúde de aproximadamente 150 trabalhadores.

Isaías dos Santos Correa, presidente da Associação de Combate aos Poluentes – formada por trabalhadores contaminados pela Rhodia –, assegura que as demissões são ilegais, pois os trabalhadores têm licença remunerada por estarem impedidos de ter contato com agentes químicos.

“É uma contaminação que não sai do organismo. Tem um termo de ajustamento de conduta, firmado junto ao Ministério Público, que garante estabilidade a esses trabalhadores devido a essa contaminação e às doenças correlacionadas. E esses trabalhadores foram surpreendidos nesta semana com uma convocação para a demissão.”

O metalúrgico Arlindo Afonso de Paula foi contratado pela Rhodia em 1972. Dez anos depois, começaram a aparecer os primeiros problemas de saúde. Não podendo exercer suas funções, foi transferido para a área administrativa, o que não foi suficiente para impedir o surgimento de novas enfermidades.

“Eu estou parcialmente morando em Minas Gerais porque aqui não tem condições de tratamento. Foi indicado até por médicos que eu fosse para lá, para aliviar a cabeça. Eu tenho um quadro clínico de problema de fígado desde 1985 e ultimamente estou com cirrose hepática, calcificação do baço e câncer na próstata. E aí, há poucos dias, a firma me chamou para me demitir.”

Share

Dois pesos, duas medidas, sempre!


Voltei a receber mails convocando protestos contra a condenação de Sakineh. Não sou a favor da pena de morte, mas também não me considero devidamente a par dos fatos, jurídicos ou culturais, para opinar. Admirei o Plínio no debate da Record, quando rebateu a armadilha do Serra afirmando que quem se o Brasil tem relações com os EUA, porque não com o Irã? Compartilho abaixo o texto de Douglas da Mata do Planície Lamacenta que com muita sobriedade fala sobre o assunto.

Dois pesos, duas medidas, sempre!

Douglas da Mata

Em primeiro lugar, deixemos as coisas claras:
Esse blog é contra a pena de morte.
Esse blog é pelo direito internacional da soberania e autonomia dos povos para decidirem com irão aplicar suas leis penais.

Por isso, não nos assusta que no último dia 23 de setembro, Teresa Lewis, condenada à morte pela Corte do Estado da Virgínia, EEUU, tenha sido executada por injeção letal.

O que nos assusta é o silêncio do PIG e de vários blogs, que, com silêncio e indiferença não gritaram pelos direitos humanos daquela mulher, nem acusaram os EEUU, muito menos o estado da Virgínia de atentar contra o gênero feminino.

Ninguém pediu o rompimento diplomático com os EEUU.

Detalhe: Virgínia foi submetida a um teste de QI, pois desconfiava-se de que não era capaz de entender a totalidade de seus atos, e o resultado deu 72, apenas dois míseros pontos acima do mínimo exigido para definir seu estágio cognitivo como “normal”.

Outro detalhe: Seus dois cúmplices, que a manipularam(conforme consta do processo), sendo que um deles apertou o gatilho, para receberem o seguro da vítima, foram condenados a prisão perpétua, ao contrário de Virgínia.

Repetimos a pergunta da coluna A Semana, de Carta Capital: Será que toda essa indiferença se deu pelo fato de que ela não morava no Irã?

Quem sabe?

Share