Chega de hipocrisia #PRONTOFALEI


Se for para barrar o iraniano Mahmoud Ahmadinejad, então vamos boicotar também o israelense Benjamin Netanyahu, Obama, a determinada samaritana Hillary Clinton e tantos outros que hipocritamente apontam o dedo acusador da moralidade enquanto ignoram com muita determinação as violações contra os direitos humanos cometidos por suas próprias Nações, dentro e fora de seus territórios pátrios.

O discurso das minorias unidas em defesa de direitos essenciais é lindo. E necesário. Mas o que fazemos quando somos maioria ou mais fortes? Qual nossa postura quando o poder de fogo é nosso? Como defendemos o outro de nossas sombrias ambições? A Federação Israelita se posiciona firmemente em favor dos Direitos Humanos quando o algoz é outro? Ou estava usando o momento de luta pela tolerância religiosa para propagandear mais intolerância político-cultural?

Eu aprendi uma coisa com uma pessoa humilde mas de grande sabedoria: não fique reparando tanto no quintal do vizinho, faça o melhor que puder pos sua própria casa. Vale para tudo! #PRONTOFALEI


Anúncios

Yes, nós temos banana!


Barack Obama resolveu nos dar o ar de sua graça. Até aí tudo bem, vez por outra autoridades máximas se visitam para um chá e um acordo. Devemos só permanecer atentos a um detalhe: quase sempre é o visitante quem deseja algo de seu anfitrião. Concordo que algumas vezes governantes aproveitam as facilidades do cargo e as viagens oficiais para o turismo em comitiva e o marketing pessoal em proporções globais. Poderia citar algumas siglas para corroborar nosso conhecimento de causa, mas prefiro me ater a essa visita tão ilustre.

Obama quer discursar em terras tupiniquins, para deixar sua mensagem ao povo brasileiro. Um discurso é até comum: presidentes conversam a portas fechadas sobre assuntos que só saberemos depois, via WikiLeaks, e depois convocam uma coletiva de imprensa em local oficial para seus discursos irmanados e solidários. Acontece que Obama Sam é audacioso e quer ir além, quer discursar espetaculosamente para a multidão arrebanhada no Centro da antiga capital do país. Os preparativos são grandiosos. A emissora platinada, aquela que é subsidiária da Grande Companhia estadunidense, dedica inúmeros momentos em seus telejornais para preparar e envolver o carioca nesse grande, ts ts, evento histórico. Entre um plim e outro, tenta nos convencer da empolgação do cidadão humilde com o sermão dominical em idioma estrangeiro, com o qual não temos qualquer identificação social, ideológica ou cultural.    Continue lendo