Trabalhando com seu Lunga


Um sujeito até a loja do Seu Lunga e pediu uma porca de determinado tamanho, seu Lunga respondeu:
– Procure naquela caixa.
E o sujeito começou a procurar e no meio de tantas peças nada de ele conseguir achar a porca que ele queria, então exausto falou para Seu Lunga:
– Seu Lunga, não consegui achar a porca…
Indignado, Seu Lunga foi até a caixa, procurou a tal porca e a achou, então virou-se para o rapaz e respondeu:
– Eu não te disse que a porca tava aqui fi duma égua!!! – e jogando a porca novamente na caixa e misturando com as outras peças diz – agora procura de novo direito que você acha!!!

Seu Lunga, quando jovem, se apresentou à marinha para a entrevista:
– Você sabe nadar? Pergunta o oficial.
-Sei não senhor.
-Mas se não sabe nadar, como é que quer servir à marinha?
-Quer dizer que se eu fosse pra aeronáutica, tinha que saber voar!!

Seu Lunga, quando era motorista de ônibus urbano,
um passageiro pergunta:
– Esse ônibus vai para a praia?
– Pode até ir, se você arranjar um biquíni que dê nele!

O cliente chega pra comprar um relógio na loja de seu Lunga.
Pode tomar banho com esse relógio, seu Lunga?
– Ô corno! Isso é um relógio, não é um sabonete…

O telefone toca.
Seu Lunga:
– Alô!
– Bom dia! Mas quem está falando?
– Você!

Share

Rhodia demitirá funcionários contaminados em unidade de Cubatão


Por Jorge Américo, da Radioagência NP

publicada sexta-feira, 04/02/2011 às 09:40

A multinacional Rhodia convocou 20 funcionários da unidade de Cubatão, no litoral paulista, para fazer exames médicos e assinar a carta de demissão. A fábrica foi fechada em 1993, quando se constatou que, em mais de 15 anos de atividades, a empresa havia despejado 12 mil toneladas de resíduos químicos no solo. Essa falta de controle comprometeu o ecossistema e a saúde de aproximadamente 150 trabalhadores.

Isaías dos Santos Correa, presidente da Associação de Combate aos Poluentes – formada por trabalhadores contaminados pela Rhodia –, assegura que as demissões são ilegais, pois os trabalhadores têm licença remunerada por estarem impedidos de ter contato com agentes químicos.

“É uma contaminação que não sai do organismo. Tem um termo de ajustamento de conduta, firmado junto ao Ministério Público, que garante estabilidade a esses trabalhadores devido a essa contaminação e às doenças correlacionadas. E esses trabalhadores foram surpreendidos nesta semana com uma convocação para a demissão.”

O metalúrgico Arlindo Afonso de Paula foi contratado pela Rhodia em 1972. Dez anos depois, começaram a aparecer os primeiros problemas de saúde. Não podendo exercer suas funções, foi transferido para a área administrativa, o que não foi suficiente para impedir o surgimento de novas enfermidades.

“Eu estou parcialmente morando em Minas Gerais porque aqui não tem condições de tratamento. Foi indicado até por médicos que eu fosse para lá, para aliviar a cabeça. Eu tenho um quadro clínico de problema de fígado desde 1985 e ultimamente estou com cirrose hepática, calcificação do baço e câncer na próstata. E aí, há poucos dias, a firma me chamou para me demitir.”

Share

Benefício trabalhista é salário digno – II


Plano de saúde e assistência odontológica,quando existem são o que a empresa oferecer. Mesmo que seja limitado ou pouco acessível. E para mim faz sentido já que uma empresa não poderá se dar ao luxo de permitir que cada funcionário escolha o seu e envie dezenas de boletos de origens diferentes para serem pagos. Participação nos lucros e bolsa-formação são cada vez mais raros. Além de roubarem a privacidade e autonomia dos trabalhadores, todos esses benefícios geram mais descontos em seus salários. E algumas vezes acabam simbolicamente superando o salário. Acho que todos conhecemos pelo menos uma pessoa que somados os valores dos benefícios o resultado é maior do que a remuneração bruta. A ilusão é de que isso compensa um salário inferior e muitas das vezes inadequado para as qualificações exigidas.

E como isso se reflete na vida de um trabalhador? Enquanto ele tiver saúde e nenhum problema acaba proporcionando uma pequena melhoria de vida. Eles começam a mostrar seus malefícios nos momentos em que o trabalhador se encontra mais fragilizado, precisando de fazer uso de todos os recursos que tiver a seu dispor. É nessa hora que eles somem. Não contam para aponsentadoria, seguro-desemprego, auxílio-doença. Só então o trabalhador percebe como o salário é mais importante que os benefícios. Continue lendo

Benefício trabalhista é salário digno


Recebi diversos mails denunciando uma suposta votação para acabar com o 13º salário. Alguns dos remetentes são pessoas próximas e que estavam verdadeiramente alarmadas. Antes de repassar como era pedido, fui pesquisar o assunto. Fiquem todos tranqüilos, a noticia é falsa. Mas chegou a mim em um momento em que eu já estava bastante indignada com os produtos do pacote “benefícios trabalhistas”. Ver parentes e amigos em desespero com medo de perder o 13º salário foi para mim a gota d’água.

Os tais benefícios favorecem a quem afinal? Volta e meia participo de alguma conversa onde o assunto é uma vaga de emprego, alguém procurando ou oferecendo. E já me acostumei a ouvir:”o salário não é muito mas tem vários benefícios”. E isso é bom? Eu não creio e tentarei explicar meus motivos. Começando pelo vale-transporte, que é o mais comum. Ele é quase um atestado de imaturidade profissional, uma maneira de controlar a presença do funcionário que recebe a parte o valor do seu deslocamento casa-trabalho e deve estar presente nos dias cobertos pelo vale. Eu li uma justificativa para o não pagamento em espécie: o trabalhador de baixa renda gastaria o dinheiro com outras necessidades, como alimentação e moradia. Ora, se a pessoa tem compromisso com seu trabalho ela estará lá, com ou sem vale. E o salário de um trabalhador deveria suprir ao menos as necessidades básicas de uma vida digna. Continue lendo